Meu bem, saudade é pra quem tem

domingo, 30 de outubro de 2011 13:48 Postado por Arielle Gonzalez 0 comentários
Eu sempre dou mil voltas antes de vomitar as palavras que quase me asfixiam. Hoje resolvi mudar meu modus operandi e ir direto ao que interessa, sem as típicas enrolações.

Feliz aniversário, pai. Parabéns pelos 45 anos que você nunca vai completar.

Desculpa se eu ainda te chamo quando as coisas ficam complicadas, se você é a primeira pessoa na qual eu penso quando preciso de um super herói. Eu sinto muito por invocar a sua presença toda hora, por não te deixar em paz, por não te deixar ir.

Faz o favor de me perdoar por ter parado no tempo, pela minha mania de ficar tirando o pó das memórias e lavando as lembranças com água salgada. Ignora esse meu hábito de sentir tanta saudade, de falar sempre de você, de te prender aqui.

Não é de propósito que te culpo pelo destino e sinto tanta raiva do mundo por não ter você ao me lado, como deveria ser. Eu te imploro para fazer aquilo que eu não consigo e deixar pra lá. Pensar em você desperta em mim os sentimentos mais exagerados, é sempre amor demais, saudade demais e espaço de menos para guardar tudo aqui dentro. Ás vezes não caibo em mim, tanto que nas noites que teu fantasma me assombra, tudo que sobra vai parar no travesseiro.

Parabéns por ter sido alguém admirável, honesto, autentico e de humor inabalável. 

Adoção

sábado, 15 de outubro de 2011 12:56 Postado por Arielle Gonzalez 0 comentários
Olha, ele é seu se você quiser. E quem disse que eu quero? Não sei, mas a etiqueta grudada nele tem o seu nome. Desde quando? Já faz alguns meses que ele está esperando o senho vir buscá-lo. O que acontece se eu não levar ele pra casa? Ele volta lá pro fundo da loja, e fica lá até alguém resolver adotá-lo. E se eu ficar com ele, vai dar trabalho? Ele não é dos mais fáceis, tem medo de gente e se esconde quando se sente ameaçado. Mas ele morde? Nunca, porém tem mania de se fingir de bravo e latir sem parar. Então ele é bravo? Não senhor, ele só quer que você acredite nisso, na verdade é carente e dócil. O que aconteceu pra ele estar engessado? Levaram ele pra casa e depois que olharam ele de perto, mudaram de ideia. O que isso tem a ver com o gesso? Deixaram ele cair e essa não foi a primeira vez que ele se partiu, senhor, os curativos não adiantavam mais. Tenho que decidir isso agora? Não obrigatoriamente, só não se esqueça que ele vai embora no final do ano. Vai pra onde? Isso nem a gente sabe, mas o tempo dele por aqui está chegando ao fim e que ele vai pra longe, vai...