Traduzindo um ser.

Sempre tive medo de três perguntas: quanto você pesa, quer sair comigo e quem é você. Da primeira porque nunca fui magrela, da segunda porque ela nunca é feita pelos caras certos, e da terceira por não saber qual é a resposta.
Sei que sou mais que o reflexo no espelho, mais que o perfil no orkut e mais que as notas da faculdade. Não tenho dúvidas que tenho mais fases que a lua, mais humores que uma pessoa bipolar e mais sonhos que muitas crianças. Decidi a algum tempo que crescer não fazia sentido, já que do jeito que as coisas estavam, estava bom.
Muito cedo descobri o amor por músicas e músicos. Descobri nas palavras um esconderijo. Uma fortaleza que oferece abrigo sem nenhuma pergunta, construí com incontáveis letras uma armadura impenetrável. E assim vivi minhas aventuras.
Entreguei meu coração de bandeja e devolveram ele todo esburacado. Até hoje tento remenda-lo da melhor maneira possível. Caí, levantei, segui em frente, e às vezes escolhi ficar parada no mesmo lugar.
Decidi que toda companhia é bem vinda, não pra dividir o fardo, mas para tornar a jornada mais divertida. Tenho uma tendência incontrolável de tentar ser diferente. Gosto de coisas tristes, músicas bregas e troco qualquer balada pelo conforto da minha cama e um bom livro.
Não gosto de cobranças, me irrito facilmente e explodo quando menos esperam. Nem sempre sou doce, gosto de frutas azedas e só tomo Ovomaltine com leite gelado. Troco qualquer coisa por café, coca-cola ou chocolate. Prefiro a lua ao sol, e me identifico mais com dias frios e chuvosos do que com os ensolarados.
Sou contra jogar coisas fora porque levo em conta o valor sentimental. Valorizo mais atos que palavras. Desconfio de tudo e me decepciono com facilidade. Tento não esperar muito das pessoas, mas nem sempre consigo evitar. Sei que o mundo não é preto no branco, e tento enxergar os tons de cinza.
Tenho o hábito de me contradizer. Não preciso de muito para rir. Falo demais, faço de menos e me cobro mais do que deveria. Gosto de carros e motos. Já quis ser a namorada do superman. Gosto de ficar só, de não fazer nada, de refletir sobre qualquer coisa. Sou nerd. Curto filmes antigos, musicais bobinhos e animações infantis.
Aiai, sei também que poderia escrever um livro com os fragmentos que me tornam quem eu sou, mas ainda assim não seria o suficiente. Por isso, tudo aqui é só um pouquinho de mim.